Notícias

“Os cartórios são parceiros, garantidores de segurança jurídica e paz social”

10 de fev de 2020

O tabelião Arthur Del Guércio quer desmistificar o trabalho dos cartórios para a sociedade com sua obra, “Contos e Causos Notariais”.

 

Lançada em outono de 2019, a segunda edição de “Contos e Causos Notariais” visa propagar positivamente a atividade notarial e registral, de uma maneira compreensível pela sociedade. Em entrevista à ANB, o Tabelião no Cartório de Notas e Protesto de Letras e Títulos de Itaquaquecetuba, Estado de São Paulo e criador do projeto “Cartório na Escola”, Arthur Del Guércio, fala de sua obra, com 100% dos direitos autorais doados a entidades beneficentes, citadas no livro.

 

ANB – O que o levou a escrever este livro?

 Arthur Del Guércio – Ao longo de minha jornada como tabelião, noto que as pessoas pouco sabem sobre a atividade notarial e registral. Por essa razão, não gozam de todo o potencial de serviços que podem usufruir nas serventias extrajudiciais. Em muitas ocasiões, até criticam por desconhecer a realidade dos cartórios. Desse cenário surgiu a ideia de escrever artigos curtos, de fácil compreensão, sem “jurisdiquês”. Também pensamos em crianças e adolescentes, e criamos o projeto “Cartório na Escola”, com histórias em quadrinhos ilustrando a atividade notarial e registral. Todos esses trabalhos foram reunidos no “Contos e Causos Notariais”.

 

ANB – Quais são os principais tópicos abordados na obra?

 Arthur Del Guércio – Os mais variados assuntos da atividade notarial e registral, englobando todas as especialidades. Sempre aproveito fatos que marcam a sociedade, para interligá-los aos cartórios. Um exemplo: em recente queda do WhatsApp, que ficou sem funcionar por um dia, escrevi sobre o pânico que isso gerou nas pessoas, as quais estão conectadas excessivamente; o ensejo me permitiu falar sobre a ata notarial como meio de prova das mensagens do aplicativo.

 

ANB – Qual a importância do tema?

 Arthur Del Guércio – Mostrar para as pessoas que os cartórios são parceiros, garantidores de segurança jurídica e paz social. Longe de serem os vilões que muitos veículos de comunicação querem pintar, são verdadeiros heróis da sociedade moderna.

 

ANB –  Qual a relação do tema no dia a dia dos notários?

 Arthur Del Guércio – O livro tem como origem o cotidiano notarial e registral. Parte do projeto envolve contar passagens interessantes, e até mesmo engraçadas, que vivi nos cartórios de Campos do Jordão e Itaquaquecetuba. Campos foi meu primeiro cartório, e Itaquaquecetuba o atual.

 

ANB –  A primeira edição do livro é diferente ou a segunda edição é uma reedição? No caso da primeira edição ser diferente, pode nos falar um pouco dela?

 Arthur Del Guércio –  A segunda edição é mais completa do que a primeira, com conteúdo inédito praticamente dobrado. A ideia é que o livro sempre cresça, com novos contos e causos, mas sem deixar de lado o teor das edições anteriores. Cada livro tem os direitos autorais doados a entidades diferentes, para que seja estimulada a ajuda ao maior número possível de pessoas.