Notícias

“Sem dúvida, o notário reinventou-se”

27 de jul de 2020

“Sem dúvida, o notário reinventou-se”

Felipe Leonardo Rodrigues, tabelião substituto do 26º de Notas de São Paulo, fala com a Academia Notarial Brasileira (ANB) sobre a nova edição do livro “Tabelionato de Notas”. Co-escrito por Paulo Roberto Gaiger Ferreira e coordenado por Christiano Cassettari, o livro aborda, de forma didática, o direito notarial em suas espécies, que dão origem aos cartórios extrajudiciais em nosso País.

 

ANB – Quais são os tópicos tratados no livro?

Felipe Leonardo Rodrigues – A obra estrutura-se em três partes: geral (história, princípios etc.), especial (esmiúça os atos notariais em espécie) e minutas. Uma pequena degustação pode lida neste link: https://bit.ly/2B9JmKI

ANB – Como a obra destrincha o cotidiano do tabelião?

Felipe Leonardo Rodrigues – A obra traça, em cada espécie de ato notarial, a teoria, a prática, a jurisprudência e exemplos de situações que as partes buscam no dia a dia do notário. Por exemplo: podemos reconhecer por semelhança a assinatura de uma pessoa falecida? Esta e outras dúvidas do cotidiano notarial são postas na obra.

ANB – Quais modificações ou atualizações há nesta edição de 2020?

Felipe Leonardo Rodrigues – O livro atualiza o leitor sobre as recentes alterações legislativas, normativas e a jurisprudência atual. A título de exemplo, um capítulo é dedicado ao Provimento CNJ 88/2019, que normatiza as comunicações do COAF – há um quadro sinótico dos enquadramentos disponíveis para as comunicações automáticas e para aquelas que demandam investigação; novas minutas formam inseridas, dentre outras novidades.

ANB – Como a atividade notarial transformou-se com a pandemia e o Provimento nº 100?

Felipe Leonardo Rodrigues – Sem dúvida, o notário reinventou-se. Foi necessário um choque de gestão e de especialização para atender às novas demandas da sociedade brasileira. E está fazendo muito bem. É um futuro sem volta.

ANB – A obra é voltada apenas aos tabeliães? Quais outros perfis podem se interessar pelo livro?

Felipe Leonardo Rodrigues – A obra é voltada não só para os notários, mas também para a comunidade jurídica: advogados, juízes, membros do MP, estudantes de Direito etc.